Você já se encantou por alguém? – Sinto, logo escrevo

Você já se encantou por alguém?

Não estou falando de paixão, mas de encantamento mesmo. Aquela pessoa que você acabou de conhecer, mas se sente de alguma forma íntimo, com vontade de conversar por horas com ela.

Para mim o encantamento é como o amor a primeira vista, só que neste caso é encantamento a primeira conversa. Basta você conversar por um tempinho com a pessoa que você sai da conversa infinitamente melhor do que entrou.

Já aconteceu comigo com um motorista de Uber. Eu entrei no carro e o papo fluiu. A conversa foi tão boa, que em apenas 20 minutos nós nos despedimos com largos sorrisos em nossos rostos e desejando coisas boas um ao outro.

Já aconteceu com uma amiga que conheci no mesmo momento que conheci mais cinco. Era um grupo de seis amigas, mas foi por ela que me encantei na hora. Somos todas amigas ate hoje, mas como explicar a forte sintonia que existe com a amiga que me encantei de imediato?

Já aconteceu em uma loja, o papo fluiu com a funcionária da loja a ponto de ficarmos conversando por 3 horas sem perceber o tempo passar. Nos despedimos com um abraço apertado, de amigos que se conhecem ha tempos.

O mais incrível aconteceu a pouco tempo. Eu trabalhei por uns seis anos com uma pessoa. Convivíamos diariamente mas as conversas se tratavam apenas de trabalho e nos corredores da empresa nos limitávamos a apenas “bom dia” ou “oi, tudo bem?”, este último sem nem esperarmos pela resposta, claro. No começo do ano passado nós duas mudamos de empresa e fomos trabalhar no mesmo projeto, e eu descobri uma pessoa incrível. E eu fico aqui me dividindo entre a culpa e a alegria. A culpa por ter perdido seis anos podendo ter convivido com ela, mas a alegria por ter conseguido descobrir isso a tempo. Não gosto de sentir culpa, estou já ressignificando isso em minha cabeça – aconteceu de nos aproximarmos no momento que tinha que acontecer.

Tenho muitos destes exemplos na minha vida. Isso porque eu estou aberta para pessoas. Eu gosto de ouvi-las, e hoje, após um processo de mudança, também gosto de falar de mim. Gosto de conversas profundas, gosto de olho no olho, gosto de telefonemas demorados ou áudios enormes no WhatsApp. Gosto de responder todas as mensagens que recebo, gosto de sair para tomar café no meio da semana, sem precisar programar com antecedência ou esperar pelo final de semana. Eu também gosto de conversas bobas e de, principalmente, conversas em silêncio – estas, acontecem somente com quem se tem aquela conexão (assunto bom para um próximo texto!).

Nada levamos daqui, é cliche, mas é tão verdadeiro, e me faz refletir o quão bom é viver o presente e poder me conectar com as pessoas, pois são elas que deixam marcas em nossas vidas, assim como nós deixamos nas vidas delas. Então para mim faz todo sentido conhecer pessoas, me encantar por suas histórias de vidas e me permitir ver o mundo com os óculos delas.


Por Fernanda Matos

“Estou em processo de auto descoberta. Sinto que essa busca nunca terá fim. Neste processo passei a escrever e por generosidade da vida, minhas escritas passaram a tocar as pessoas.
Sou formada em Jornalismo e faço diversos cursos de autoconhecimento, mas isso não importa, pois quando escrevo sou apenas uma pessoa que sente e quer compartilhar, por isso, todo domingo escrevo aqui no blog o meu: Sinto, Logo Escrevo.”

Marcado com , , , , ,

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: