Singular – SINTO, LOGO ESCREVO

Singular. Que ninguém é igual a ninguém eu sei.

Na verdade acho que isto é o que temos de mais lindo – a singularidade – que ao mesmo tempo se mistura ao que é comum a todos – o sentir.

Sou única e ao mesmo tempo tenho sentimentos semelhantes aos demais.

Demais? Humanos? Não somente.

Sou feita de fases, como as estações do ano.

Floresço, me despedaço, renasço, como as flores.

Sou mar calmo, sou onda que surge e bate nas pedras.

Sou chuva que cai, as vezes tão esperada, as vezes indesejada.

Tem dias que brilho como o sol, forneço calor.

Tem dias que sou cinza, fico para dentro, guardo rancor.

Infinitude, sou letra, sou palavra, sou pulmão, enfim sou coração.

Sou mais, sou alem dessa dimensão.

Singular então?

Sou nada, se sentir for em vão.

Autor: Fernanda Matos

Estou em processo de auto descoberta. Sinto que essa busca nunca terá fim. Neste processo passei a escrever e por generosidade da vida, minhas escritas passaram a tocar as pessoas. Sou formada em Jornalismo e faço diversos cursos de autoconhecimento, mas isso não importa, pois quando escrevo sou apenas uma pessoa que sente e quer compartilhar, por isso, todo domingo escrevo aqui no blog o meu: Sinto, Logo Escrevo.

Nenhum pensamento

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.