Reconexão com a sexualidade Feminina

A realidade da mulher está em constante mudança. De um lado ainda estamos comprometidas com o papel tradicional de cuidar do bem-estar dos outros (família, filhos, trabalho, etc), e por outro lado buscamos cada dia mais viver com uma percepção mais completa do “eu” e acharmos respostas para vários questionamentos internos. A mulher tem uma flexibilidade enorme, coragem para liderar seu negócio, sua carreira, sua família, tornando-se capaz de se adaptar as mudanças.

Essa qualidade de se adaptar as mais diversas situações, fez com que nos adaptemos ao sistema de valores masculinos, muitas vezes reforçamos essas qualidades masculinas para acompanhar a jornada de trabalho e o acumulo de funções no dia a dia. Infelizmente a consequência disso para a mulher é o desequilíbrio interno do seu Yang (energia masculina) e  seu Yin (energia feminina), atingindo a energia sexual e prejudicando a libido, orgasmo, podendo até causar doenças ligadas ao aparelho reprodutor feminino. De uma maneira geral muitas mulheres evitam enfrentar sua própria situação no que diz respeito a sexualidade, ou talvez não se sintam capazes de uma entrega completa ao sexo. Isso pode ser decorrente de medos pessoais, bloqueios mentais, traumas vividos de antigos relacionamentos ou até mesmo memórias de abortos e abusos.

Desde que comecei a trabalhar com mulheres notei que a maioria chegava querendo soluções instantâneas, como tomar um remédio em um dia, e no outro ter estar com sua sexualidade ativa, mas o que a maioria das mulheres não está consciente de que nossa vida sexual tem que estar em equilíbrio, assim como nossa saúde, família e relacionamentos. Você pode parar e calcular por si mesma, quantos minutos em um mês você está sexualmente ativa ou sente um orgasmo e fica satisfeita? E compare esse tempo com o tempo envolvido em tarefas domésticas, telefonemas, leitura, alimentação, etc.

Para achar respostas sobre perguntas sobre a sexualidade feminina, o primeiro passo é se reconectar com você mesma, há algumas perguntas básicas para iniciar:

  1. Para você, o que significa realização sexual?
  2. Em que medida a sua sexualidade é realizada?
  3. Lembre-se de uma situação de sua vida em que se sentiu realizada ( não precisa estar relacionada ao sexo).

Essas perguntas ajudam a mulher a pensar por um tempo e descobrir por si mesma o que significa a sua realização sexual.

Para uma realização sexual é necessário que a mulher esteja livre de crenças e memórias que pode estar carregando em seu ventre e principalmente criar uma boa relação com o seu ciclo menstrual, entender e se conhecer como mulher é a regra número um para sua realização, com o passar dos anos foram criados tabus que “nosso sangue é sujo”, que menstruar nos limita, nos atrapalha, e assim sem conhecer seu corpo e seu ciclo, as mulheres desde nova iniciam a tomar hormônios (anticoncepcional) ou bloqueiam seu útero com um dispositivo intrauterino (DIU), sem ao menos saber que junto a isso estão bloqueando seu feminino, sua criatividade, sua espiritualidade e começam a desenvolver ansiedade (por algo que nem sabem o motivo), a ter dores de cabeças, cólicas, desenvolvem doenças de desconexão com o útero como endometriose, síndrome do ovário policístico e miomas.

Minha dica de hoje é se conectem com o seu feminino através do seu ciclo menstrual, muitas vezes um “problema” aparece na sua vida sexual para te fazer olhar para dentro de você, para fazer a mulher se conectar cada dia mais com sua essência. Em um mundo contaminado pela beleza externa, o maior desafio de nós mulheres é nos voltarmos para nós mesmas e conectarmos com a nossa essência e nosso propósito. E você já se conectou com você hoje? Ame-se.

Por Regi @ciclosdamatta

Marcado com , , , ,

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: