Conectados, com conexão – Sinto, logo escrevo

A foto não é da janela lateral do quarto de dormir, mas sim da janela central. Mais para o fim do texto eu conto sobre esta foto.

“Vista da janela central”

Você já parou para pensar que hoje, praticamente tudo que fazemos é através do aparelho celular, bem na palma das nossas mãos?

Transporte? Uso Uber. Refeição? Uso o Ifood. Hospedagem? Uso Airbnb. Sem contar as decisões rápidas por áudio de WhatsApp ou os vídeos para matar a saudade de quem ta longe. Até as minhas inspirações são retratadas em fotos e textos no Instagram.

“O mundo mudou muito rápido, há 10 anos tudo isso parecia utopia”

O mundo mudou muito rápido, ha 10 anos isso tudo parecia utopia. Mas há quem faça a fatídica pergunta: e o olho no olho? Eu sinceramente não acho que uma coisa exclui a outra e vou contar a minha experiência.

Eu nunca conversei tanto como no Uber. Adoro usar o Uber por isso, são tantas descobertas interessantes. O que eu já ouvi de relatos de vidas, daria um livro. Inclusive já escrevi pelo menos dois textos sobre isso aqui.

O Airbnb para mim é uma delícia! Adoro entrar em uma casa que não é minha, mas onde eu ficarei alguns dias e ver como a pessoa planejou e decorou aquele lugar. Eu sou apaixonada por decoração e realmente me conecto com os lugares onde fico hospedada. Sempre interajo com os proprietários, gosto de avaliar e deixar recadinhos fofos por me receberem tão bem. Quando isso seria possível? Hotel é impessoal, chega ate a ser frio, ja o Airbnb me faz me sentir no calor da minha casa.

“Escrever me conecta com as pessoas”

E depois que passei a escrever me sinto mais ainda conectada as pessoas. Inúmeras vezes recebo recadinhos nos textos ou mensagens no WhatsApp de pessoas falando o quanto se identificam com o que eu escrevo. Percebe que apesar de não ter olho no olho ainda assim tem conexão? Tem sentimento!

A tecnologia não precisa excluir o olho no olho. Também não é porque nela não tenha olho no olho, que não possa haver conexão com as pessoas.

E voltando ao início do texto, a foto é de um apartamento que me hospedei através do Airbnb. Eu sempre tive vontade de conhecer o Copan, que é um edifício de 1966, cujo arquiteto foi Oscar Niemeyer. Foi através do Airbnb que consegui finalmente conhecer o Copan e me hospedar no vigésimo terceiro andar do prédio, com esta vista incrível de São Paulo. Enquanto fiquei la, eu olhava pela janela e pensava: quantas histórias já foram vividas aqui. Eu adoro imaginar essas coisas e para mim foi uma viagem no tempo.

“A conexão pode ser de coração para coração”

Me hospedar no Copan foi tão bom que eu queria dividir com vocês, não apenas fazendo um texto sobre meu final de semana por lá, mas fazendo um link do antigo com o moderno. De 1966 com 2019. Do Copan com o Airbnb. De experiência vivida com Instagram – e porque não – com você ai do outro lado? Pode ser sem olho no olho, mas que seja de coração para coração.

E você se sente conectado? Deixa aqui seu comentário.

Espero que tenha gostado compartilhe este post,

@fmatosgoncalves

Marcado com , , ,

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: