Amsterdam e Haia, cidades da Holanda, o pais das maravilhas.

Sabe quando você vai para um lugar, apenas para conhecer, mas quando você conhece, ele é muito melhor do que suas expectativas ….essa é sem duvidas, a Holanda. 

Oi gente, me chamo Stephanie, e estou aqui mais uma vez para escrever um novo artigo sobre dicas e curiosidades que eu passei na minha experiência em conhecer um pouquinho da Holanda.

quem não sabe, a Holanda é vizinha da Bélgica , o país aonde eu moro, então esse foi o meu destino escohido para aproveitar um final de semana , para desestressar do trabalho da semana.

Imaginei que um dia só seria suficiente para conhecer  Amsterdam, já que aqui  na Bélgica, conhecemos Bruxelas, a sua capital, em  poucas horas. E no outro dia poderia conhecer Haia, uma cidade com lindas praias. Eu pra ser sincera, não sabia de quase nada sobre Haia.

Fiquei um mês me organizando, pesquisando o que mais me agradava fazer  em apenas um dia em cada lugar, então quando chegou o dia da viagem, deixamos nossos filhos na casa dos nossos parentes, em Bruxelas, e partimos apenas eu e meu marido, para uma segunda lua de mel..🤭 

Existem todos os tipos de transportes para chegar até Amsterdam, ônibus de viagem, trens, avião .. mas preferimos mesmo ir de carro, o  trajeto não é muito longo, a viagem durou cerca de duas horas, e quase não percebemos quando passamos pela fronteira, apenas uma pequena placa informou sobre a mudança de país , nada de fronteiras fechadas, e policiais revistando malas e passaportes como a fronteira da Dinamarca, ou Inglaterra…Bom , ainda bem, pois eu me esqueci de levar nossos passaportes na viagem 🤦‍♀️… Somente nossas carteiras belgas, um tipo de RG daqui . Mesmo assim, não precisamos usar nossos documentos em momento nenhum da viagem, que bom 😅.

Após um tempo na estrada, em território Holandes, começamos a perceber a vegetação mudar, de repente vários canais se misturavam a paisagem, pequenas margaridas e tulipas selvagens (a época dos campos de tulipas é em abril, na primavera, essas eram tulipas tipo mato mesmo…rsrsr) brotavam na beira da estrada, patos e gansos selvagens voavam para todas as direções , e alguns moinhos de trigo resistiam ao tempo e a modernização … Que cenario mágico , como se  nos levasse para um dos contos de fadas da nossa infância.

Chegamos em Amsterdam, e a primeira coisa que fizemos foi nos perder!!! Ah, isso sempre acontece comigo!! A cidade é toda construída entre os canais, por isso, tentar encontrar os pontos turísticos de carro, acaba sendo mais estressante do que prazeroso. Procuramos um lugar para deixar nosso carro, mas um problema que não é só da Holanda, mas por toda a Europa, cada espaço de asfalto você paga a hora, para estacionar. E o preço em Amsterdam é bem salgado. 8 euros a hora, ou 80 euros por 24 horas… mais um motivo para não alugar um carro quando vier visitar Amsterdam

O melhor a se fazer é alugar uma bicicleta, em vários lugares da cidade existem pontos para o aluguel de bicicletas, e o preço varia entre 6 e 8 euros a hora. Amsterdam é muito conhecida pelo seu fluxo de bicicletas, e suas ruas mais pareciam a Índia , com bicicletas, carros, pedestres, e até carroças dividindo o pequeno espaço pelos cruzamentos.

Como sair por aí andando também cansa muito, mas assim também é bom, pois dá para  conhecer tudo de um jeito mais integrado, e a Holanda é totalmente plana, e sua altitude está a 1,50 abaixo do nivel do mar. Mas eu optei por conhecer a cidade pelos canais. Compramos dois tickets de barco, em Amsterdam tem mais de 35 companias maritimas, de barcos de passeio, cruzeiros e botes individuais, normalmente o ticket vale por uma hora, e custa em torno de 18 euros cada, existem outros cruzeiros que oferecem almoços, cocktails, ou jantares românticos , que são mais caros, ou como os que eu fui, que o ticket pode ser usado por 24 horas, podendo entrar e sair aonde quiser , e o valor é 60 euros por pessoa.

Amsterdam, tem atrações para todos os tipos de público , e um dia realmente não foi suficiente para conhecer tudo que eu planejei. Chegamos em Amterdam no começo da tarde também , assim perdemos algumas horas que poderiam terem sido aproveitadas. Quando chegamos, fomos surpreendidos pela parada LGBT, Amsterdam Pride, a mais forte da Europa, que dura por uma semana inteira, e que muitos turistas vêm para a Holanda apenas para conhecer o movimento. 

Após esse evento, fomos em direção ao nosso primeiro passeio, entre vários temas que eu poderia escolher conhecer pela cidade, eu escolhi ver a história da Holanda, e nada melhor do que conhecer, pela AMSTERDAM DUNGEON

Uma espécie de casa dos horrores dos parques de diversão , que reproduziam a história macabra e real da velha Holanda. A peste negra, os piratas, as bruxas e vários outros temas foram encenados por atores que interagiam com o nosso grupo de pessoas. Mas por todo o tempo os atores falavam em inglês , e quem não sabe a língua , fica um pouco perdido. O preço do ingresso individual custa 24 euros. Ficamos por volta de 1 hora e meia, e tive a sensação de sermos viajantes do futuro sentindo um pouquinho do passado. Depois de tanto medo e adrenalina, fomos recepcionados por um taverneiro, onde nos ofereceu cervejas para descontrair…Aliás , percebi que essa cidade quer nos embebedar, quase todos os eventos, tem bebidas gratuitas.

Assim que acabou a atração , fomos à procura de algo para comer. Existem restaurantes para todos os gostos, mas esse não foi o tipo de turismo que eu vim procurar na Holanda, eu queria mais, me integrar como uma habitante local, por isso procurei saber o que os holandeses  mais consumiam diariamente, e descobri um tipo de lanchonete, muito diferente, onde  você vai com algumas moedinhas, coloca na máquina , escolhe o lanche, e ele abre a porta de um forninho e você pega o lanche. Rápido , prático e barato.

O que mais me surpreendeu foi o fato de ter opções vegetarianas também , normalmente isso é um problema para mim, pois era muito difícil de encontrar algo que eu pudesse comer…bem, aqui na Holanda, todo cardápio tem uma opção vegetariana, até nos famosos fast foods. Essa lanchonete se chama FEBO e existe em vários pontos da cidade.  A idéia foi inspirada nas mulheres da vitrine, na famosa rua das luzes vermelhas (reds lights) Por isso os lanches estão em vitrines também . Os valores dos laches variam entre 2 e 4 euros.

Quando percebemos já estava na hora de entrar na próxima atração . O nome do local é ICE BAR, 

e você só consegue um horário , se reservar com antecedência pela Internet (uma semana no mínimo) saimos correndo para não perder o evento, e chegando lá, fomos recepcionados por um meio-anão( ele tinha quase a minha altura, então ele era tão anão quanto eu 😅) muito simpático , uma outra coisa que percebi em Amsterdam é que existem muitas atrações com atores, e isso torna o espaço muito divertido.

Na entrada recebemos duas moedas de prata e uma de ouro (de mentira) que seriam usadas dentro do local, já que dinheiro de verdade não é aceito no bar. Entrando, vemos um típico bar europeu, onde podemos pedir um drink bem elaborado com a moeda de ouro para nos aquecer para o próximo bar. então após um vídeo temático , misturado com atores reais, encenado uma história onde entramos em um barco pirata à caminho das Índias , e acabamos atracando na Rússia …uma história bem divertida para entrarmos na brincadeira do bar de gelo. eles nos dão casacos de inverno e luvas, então nos levam até o bar. Lá dentro do bar, tudo e feito de gelo, as paredes, as cadeiras, o balcão do bar e até os copos em que são servidos os drinks. 

Para que tudo permaneça gelado, aguentamos um frio de -10 graus. Com o tema de um porão de um navio pirata, trocamos nossas fichas de prata por shots de vodkas de diversos sabores deliciosos. Na realidade por estar grávida, eu só tomei um suco de laranja, sortudo do Mike ( meu marido) que bebeu em dobro por todos os lugares que fomos.

Dançamos algumas músicas , conversamos, rimos e tiramos muitas fotos, mas quando acabam as fichas, é hora de ir embora, e dar espaço para o próximo grupo da outra hora reservada. O local é muito rotativo, e você vê pessoas indo embora e chegando  todo o tempo, e como não podemos mais comprar moedas  de ouro ou prata, temos que ir embora também. Esse foi um dos lugares prediletos do meu marido, ele saiu até vermelho de lá. o preço do ingresso é 24 euros por pessoa e está incluso uma moeda de ouro e duas de prata.

Quando deixamos o Ice Bar, já não dava mais tempo para ir nas outras atrações Que eu havia planejado, queríamos muito ter ido no MUSEU VAN GOGH, que eu acabei comprando o ingresso pela internet mas não tive tempo de usar, uma pena.. Queríamos ver também o HEINEKEN EXPERIENCE, onde  poderíamos fabricar nossa própria heineken e descobrir os segredos da melhor cerveja holandesa, e por último ir a MADAME TUSSAUDS, um museu onde existem vários artistas feitos em cera, bem, não se têm muito a aprender lá dentro, mas com certeza renderiam várias selfies com famosos..😁

Bem , fizemos nosso último passeio de barco, por que uma grávida também precisa descansar..rsrs dentro do nosso barco eles ofereciam por um bom preço, café , chás e cervejas,

tudo para o passeio ser super relaxante, e dentro do barco, eles falavam os pontos turísticos em volta em várias línguas, não tinha em português , mas tinha em espanhol, o que dá pra entender um pouco. Pra finalizar nosso dia, que já era noite , fomos visitar o famoso distrito das luzes vermelhas, chamadas de red lights, o que torna Amsterdam tão conhecida. Ao caminhar por entre as vielas vermelhas, a cada lado existem vitrines e mais vitrines de mulheres semi-nuas.

Eu fiquei chocada, mas para muitos isso é cultural, e também um turismo sexual muito comum. O Mike ficou muito assustado também, e eu não conseguia parar de rir, o que fez a maioria das meninas se esconderem quando a gente parava para olhar para elas 🤔😅. Mesmo entre as vitrines de mulheres, também existiam lojas de souvenirs , e bares, inclusive a CASA ROSSO, onde homens e mulheres faziam filas para ver um espetáculo de teatro erótico . No mesmo distrito tinha o museu da Prostituição , e outras coisas bem bizarras que um turismo sexual pode oferecer. Saindo do distrito das luzes vermelhas encontramos vários COFFES SHOPS, que ao pé da letra são bares comuns, mas todos os coffes shops na Holanda são lojas onde você pode comprar livremente a erva canabis, ou mais conhecida como maconha mesmo.

Entrando na loja, é super normal você pedir um cafezinho, sentar em uma mesa com os amigos e acender o cigarro de maconha. Na Holanda a maconha é legalizada, e existe variedades da erva, cheiros, sabores e preços. O que me chamou a atenção foram as invenções que fizeram com a erva.. pirulitos, balas, bombons, cookies verdes , e várias outras comidas bem estranhas. Inclusive eu via várias propagandas da maconha pelo país, em mercados, farmácias , como uso medicinal contra varias doenças , até vimos um policial usando entre os civis.

Eu amei conhecer Amsterdam, mas na minha opinião, essa é uma cidade para se conhecer entre amigos, ou com o companheiro, mas não é um lugar aonde eu levaria os meus filhos, eu não acho que Amsterdam seja destino para um turismo familiar. Diferente de Haia, a cidade que foi nosso destino do dia seguinte. Mas para não ficar um texto muito longo, essa matéria continua no próximo post!!

Quem gostou e ainda não me conhece, você pode me encontrar no Instagram @vida__real e ver mais fotos desse dia. E não deixem de ler a Parte 2 dessa matéria 😉😘 Até a próxima

Marcado com , , , , , , ,

Sou muito grata por seu comentário, é importante pra mim.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: